Linux em Geral

Linux em Geral

Linux em todos os seus sabores

Personalizando terminal “Kali Linux”

0

Boas Users!

Hoje vou ensinar, como personalizar o terminal do kali linux, muito simples.

 

Comandos Utilizados:

Antes de mais nada, entrar no diretório inicial do usuário:

# cd ~
# leafpad .user777

leafpad = editor de texto padrão do kali linux

.user777= nome do arquivo que escolhi, coloque o nome que achar melhor, mas não esquecendo do (.) ponto no inicio do arquivo, assim ele fica oculto no sistema.

# chmod +x

chmod= gerencia as permissões no linux

+x= Permissão de execução

# leafpad .bashrc

.bashrc= Arquivo do terminal

# cat ~/.user777

cat= lista um arquivo na tela

~= diretório inicial do usuário

Links dos geradores:

http://patorjk.com/software/taag/#p=d

http://joshua.einhyrning.com/wtfig/

 

By user777

 

 

 

Coletando Endereços de Email’s com Kali Linux

0

Boas Users!

Vou mostrar como coletar, endereços de email’s de um determinado domínio.

“Todas as informações aqui devem ser usadas para fins educacionais e que a invasão de dispositivos não autorizado é crime”

Comandos usado:

# msfconsole

msfconsole= Framework criado por H.D.Moore, que serve para elaboração e execução de um repositório de exploits.

 

 

[ x ]
 

msf > use auxiliar/gather/search_email_collector

use auxiliar= Carregando o modulo email_collector

msf > set DOMAIN "domínio.com.br"

set DOMAIN= Selecionando o domínio

msn > run

run= Iniciando a coleta

 

 

Criando Servidor IRC no Kali Linux “InspiRCD”

0

Boas Users!

Vamos instalar o InspIRCd no kali

1- Basta abrir o terminal e inserir o seguinte comando;

#apt-get install inspircd

2-  Agora à configuração. Para tal vamos abrir o ficheiro /etc/inspircd/inspircd.conf onde devem realizar as seguintes configurações:

OBS: usarei o editor de texto “vi”, você poderá usar o editor de texto de seu gosto.

#vi /etc/inspircd/inspircd.conf

Ao nível do servidor, devem alterar os seguintes dados:

Server name
Description
Network

Configure de acordo com suas informações.

Captura de tela de 2016-07-21 00-25-10
3- Ao nível da administração,  devem  alterar os seguintes dados de acordo com a conta que pretendam criar.
Admin
Nick
Email
Captura de tela de 2016-07-21 00-25-30
4- Em termos de servidor, devem também indicar a partir de qual endereço é que o mesmo está disponível. No exemplo da imagem seguinte, consideramos o endereço 177.154.11.100 e porta 6667.
Captura de tela de 2016-07-21 00-25-50
5- O próximo passo é definir uma password  necessária para parar ou reiniciar o serviço.
Captura de tela de 2016-07-21 00-26-19
6- Vamos agora criar um conta de operador. Para tal basta procurarem pela linha que começa por <oper name=…, dentro do ficheiro de configuração.
Captura de tela de 2016-07-21 00-26-46
7- salve o arquivo e iniciei o serviço usando o comando
#service inspircd start

Estas são as configurações mínimas para que o InspIRCd funcione. No entanto há muitos outros parâmetros que podem ser consultados aqui.

Configurando um Servidor Slackware – DHCP server, Nat com iptables simplificado.

1

Amigos, mais uma vez é um prazer imensuravel estar por aqui e poder compartilhar um pouco do meu conhecimento com essa grande comunidade.

Vamos configurar um Slackware para servir internet e DHCP ?
O video aborda as configurações basicas necessarias para que possamos ter nosso firewall funcinando. Este video será o primeiro de uma serie que farei a respeito do sistema, então vamos lá.

 

[ x ]
 

 

Configurações usadas por mim neste video.

dnsmasq.conf:

Primeiro, faça um backup das configurações atuais.

cd /etc/

mv dnsmasq.conf dnsmasq.conf.bkp

nano dnsmasq.conf

Adicione as linhas em cinza abaixo ou crie as regras de acordo com suas necessidades.
#ARQUIVO DE CONFIGURAÇÃO DHCP SERVER
#DECLARAR ABAIXO A INTERFACE A SER USADA
interface=eth1
#<IP INICIAL>,<IP FNAL>,<MASK>.<LEASE>
dhcp-range=10.22.33.100,10.22.33.120,255.255.255.0,12h
#GATEWAY PADRÃO
dhcp-option=3,10.22.33.1
#SERVIDORES DNS
dhcp-option=6,10.22.33.1
#SERVIDOR DE NOME – SUFIXO DNS
dhcp-option=15,slack-video.prefirolinux.com
#
dhcp-authoritative

rc.firewall
Siga os comandos para a criação do script

cd /etc/rc.d

nano rc.firewall e adicione as seguintes linhas destacadas em vermelho:

#!/bin/bash
iptables -P FORWARD ACCEPT
iptables -A POSTROUTING -t nat -s 10.22.33.0/24 -o eth0 MASQUERADE

 

[ x ]
 

Ao final dos procedimentos, dar permissão de execução aos seguintes arquivos.

rc.firewall – rc.dnsmasq – rc.ip_forward

Para tal use, chmod +x <nome do script>.

Bom, isso é tudo por enquanto .

Abraços e até a proxima !!

 

Invadindo com CobaltStrike ( kali Linux )

2

Boas Users!

Hoje irei mostrar como acessar um computador “windows” com o CobaltStrike

“Todas as informações aqui devem ser usadas para fins educacionais e que a invasão de dispositivos não autorizado é crime”

Comandos utilizados:

$ cd

cd= Navegar entre os diretórios

$ sudo ./teamserver 127.0.0.1 123456

sudo= Permissão de super usuário

./teamserver= Iniciando servidor do cobalt strike

127.0.0.1= IP LoopBack

123456= Senha

$ sudo ./cobaltstrike

./cobaltstrike= Iniciando o cobaltstrike

 

Fonte:

https://www.cobaltstrike.com/features

Softwares usados:

CobaltStrike

Toycon

Resource Hacker

 

By user777

FreeRadius Advanced Using Mysql for Mikrotik: PPPOE server + mysql ippool, login user, nas, configuration radius , control user simultaneous, Control user Mac Address and Queue in MK.

0

Fala pessoal, segunda parte do vídeo, e aqui vamos dar sequência as configurações avançadas do Freeradius.

Parte 1 Configurando Servidor Freeradius + Mysql para pppoe no Mikrotik

Neste vídeo, vamos trabalhar de forma diferente do primeiro, aliás, é interessante que você tenha visto o primeiro para que possamos entender as mudanças nas configurações em relação a ele.

Então, vejam o vídeo, no mais alguns dos comandos usados estão disponíveis logo a baixo e eu estou atualizando esse post (infelizmente estou com um problema no nervo do braço esquerdo e quase não estou conseguindo digitar, então irei atualizando calmamente isso. OK?)

 

 

 

 

Os comandos usados neste vídeo foram:

root@mysql /# mysql -uroot -pThiago123
mysql> create database radius;

mysql> grant all privileges on radius.* to radius@localhost identified by 'Thiago123'

mysql> \q
Bye

Importando as databases, ou scripts que já vem preconfigurados com o freeradius:


root@mysql /# mysql -uroot -pThiago123 radius < /etc/freeradius/sql/mysql/schema.sql
root@mysql /# mysql -uroot -pThiago123 radius < /etc/freeradius/sql/mysql/nas.sql
root@mysql /# mysql -uroot -pThiago123 radius < /etc/freeradius/sql/mysql/ippool.sql  

 



Alterar o radusergroup:

 

Alimentar as Tabelas :



 

Servidor DHCP CentOS

0

Boas Users!

Vou mostrar como configurar um servidor DHCP, no CentOS 7.

 

Comandos:

# su -

su –= ativa o super usuário “root”

# yum update

yum= é uma ferramenta utilizada para gerenciar a instalação e remoção de pacotes em distribuições Linux, que utilizam o sistema RPM.

update= Atualiza o sistema de arquivos.

# yum install dhcpd

install= Instala

# systemctl enable dhcpd

systemctl= Ferramenta para gerenciar serviços

enable= Habilita

# systemctl start dhcpd

start= inicia

# ifconfig

ifconfig= é usado para atribuir um endereço para uma interface e/ou configurar parâmetros de interface de rede

# vi /etc/sysconfig/network-scripts/ifcfg-enp0s3

vi= Editor de texto

OBS: Lembrando que “enp0s3” é a placa de rede gerada “virtualbox”, substitua pela placa de rede do seu computador.

DEVICE=enp0s3
BOOTPROTO=static
BROADCAST=192.168.1.255
IPDDR=192.168.1.128
NETMASK=255.255.255.0
GATEWAY=192.168.1.254
NETWORK=192.168.1.0
ONBOOT=yes
TYPE=Ethernet
PEERDNS=no

DEVICE= Identificação da placa de rede “nome”

BOOTPROTO= static “ip fixo” ou Dynamic “ip recebido pelo servidor DHCP”

IPADDR= Aqui colocamos o “IP”

NETMASK= Mascara da rede

GATEWAY= é uma máquina intermediária geralmente destinada a interligar redes, separar domínios de colisão, ou mesmo traduzir protocolos.

NETWORK= Faixa de IP`s

ONBOOT= yes > ativa placa de rede, no > não ativa a placa de rede no boot

PEERDNS= responsável por gerar o DNS no arquivo “/etc/resolv.conf”

# vi /etc/sysconfig/network-scripts/ifcfg-enp0s8

enp0s8= Placa de rede, que vai distribuir internet.

# service network restart

Reiniciando a rede

DEVICE=enp0s8
BOOTPROTO=static
BROADCAST=10.0.0.255
IPADDR=10.0.0.1
NETMASK=255.0.0.0
NETWORK=10.0.0.0
GATEWAY=10.0.0.1
ONBOOT=yes
# vi /etc/resolv.conf

aqui configuramos o DNS:

nameserver 192.168.1.1

OBS: pode ser o seu DNS preferido, ex: 8.8.8.8 ou 8.8.4.4, que são os DNS do google.

# vi /etc/dhcpd/dhcpd.conf

Configuração do arquivo DHCP:

default-lease-time 600;
max-lease-time 7200;
authoritative;

subnet 10.0.0.0 netmask 255.0.0.0 {
range dynamic-bootp 10.0.0.100 10.0.0.200;
option domain-name-servers 8.8.8.8, 8.8.4.4;
option broadcast-address 10.0.0.255;
option routers 10.0.0.1;
}

default-lease-time = Controla o tempo de renovação dos endereços de IP´s

max-lease-time = determina o tempo máximo que uma estação pode usar um determinado IP.

authoritative= Terminais mesmo que estes possuam, configurações erradas de rede, ou possuam IPs que não sejam da subnet configurada no servidor.

subnet= classe de ip

range dynamic-bootp= IP’s que seraão liberados

option domain-name-servers=  É um computador com uma espécie de banco de dados que relaciona o endereço “nominal” de um site como www.uol.com.br com o endereço real onde está a página na rede, para poder acessá-la.

option domain-broadcast-adrress=

option routers= rota do tráfego

Agora vamos criar um script do roteamento, para liberar internet.

# vi /usr/bin/firewall

OBS: pode criar com o nome de sua preferência, no meu caso criei “firewall”.

#!/bin/bash
iptables -F 
iptables -t filter -P FORWARD ACCEPT
iptables -t nat -A POSTROUTING -s 10.0.0.0/255.0.0.0 -o enp0s3 -j MASQUERADE
echo 1 > /proc/sys/net/ipv4/ip_forward
iptables -A FORWARD -s 10.0.0.0/12 -j ACCEPT
iptables -A FORWARD -d 10.0.0.0/12 -j ACCEPT

iptables= é o nome da ferramenta do espaço do usuário que permite a criação de regras de firewall e NATs.

-F= apaga todas as regras

-t= parâmetro tabela

-P= define uma regra padrão

-A=acrescenta uma nova regra às existentes

-s= especifica a origem do pacote. Origem que pode ser informada como

-o= identifica a interface de saída do pacote, com a mesma sintaxe descrita acima em -i

FORWARD= consultado para dados que são redirecionados para outra interface de rede ou outra máquina

POSTROUTING= consultado para os dados que precisam ser modificados logo que chegam (DNAT e redirecionamento de portas)

ACCEPT= O pacote é ACEITO e o processamento das regras daquele chains é concluído

filter= nome da tabela

# chmod +x /usr/bin/firewall

chmod= é um utilitário via linha de comando usado nos sistemas Linux/Unix/Unix-like para mudar as permissões de um arquivo ou diretório.

+= adiciona

x= execução

# vi /etc/rc.d/rc.local

Agora vamos adicionar na ultima linha, do arquivo “rc.local” para iniciar o script “firewall” no boot.

 

 

[ x ]
 

bash /usr/bin/firewall

salve e assim, estará rodando o seu servidor. Boa Sorte!

Download dos arquivos de configurações do CentOS aqui.

em relação ao editor de texto “vi”, quem não está familiarizado, consulte aqui.

 

By user777

 

 

 

Escolha de uma Distro Linux!

0

BoasUsers!

 

hoje vou mostrar algumas Distros.

 

 

Arch Bang
ArchBang é uma distribuição GNU/Linux simples que fornece a você um leve sistema Arch Linux combinado com o gerenciador de janelas Openbox. Adequado tanto para desktop e sistemas portáteis – É rápido, estável e sempre atualizado.

Você pode personalizar a instalação para atender às suas necessidades e aproveitar os vastos recursos e conhecimentos da comunidade Arch Linux.

A página de download tem links para ambos os 32 e 64 bits, de arranque como um live CD/USB – permitindo que você facilmente testá-lo antes de fazer uma instalação completa.

Experimente-o agora, temos certeza que você vai se surpreender com o que ArchBang tem para oferecer!

Download: http://sourceforge.net/projects/archbang/files/


Arch Linux
Arch Linux é uma distribuição fundada por Judd Vinet e é otimizada para processadores i686 (Pentium Pro, II etc e AMD compatíveis). Judd inspirou-se em uma distribuição chamada CRUX.

Arch é uma distribuição rolling release, ou seja, o sistema é atualizado continuamente. Você obterá acesso às novas versões simplesmente mantendo o sistema atualizado através do gerenciador de pacotes. Utiliza o Pacman (Package manager – gerenciador de pacotes) que torna fácil a tarefa dos usuários personalizarem o sistema.

 

O número de fiéis usuários tem crescido devido as suas inúmeras qualidades e sua filosofia de desenvolvimento.

Download: https://www.archlinux.org/download/


BackBox
Backbox é uma distribuição baseada no Ubuntu, desenvolvido para executar testes de penetração e realizar avaliações de segurança. Projetado para ser rápido, fácil de usar e fornecer um ambiente desktop completo graças ao seu repositório de software próprio, sempre atualizado para as últimas versões estáveis das mais conhecidas e utilizadas ferramentas de “hacking ético”.

Pode ser iniciada diretamente pelo CD.

Download: http://www.backbox.org/downloads

 

 

[ x ]
 


Backtrack
Backtrack, distribuição com foco em testes de seguranças e testes de penetração (pen tests), muito apreciada por hackers e analistas de segurança, podendo ser iniciado diretamente pelo CD (sem necessidade de instalar em disco), mídia removível (pendrive), máquinas virtuais ou direto no disco rígido.

Download: http://www.backtrack-linux.org/downloads/


CentOS
CentOS é uma distribuição de classe Enterprise derivada de códigos fonte gratuitamente distribuídos pela Red Hat Enterprise Linux e mantida pelo CentOS Project.

CentOS proporciona um grande acesso aos softwares padrão da indústria, incluindo total compatibilidade com os pacotes de softwares preparados especificamente para os sistemas da RHEL. Isso lhe dá o mesmo nível de segurança e suporte, através de updates, que outras soluções Enterprise, porém sem custo.

Download: http://www.centosbr.org/downloads


Coyote Linux
Coyote Linux é uma pequena distribuição desenvolvida pela Vortech Consulting contendo apenas os serviços necessários para transformar um computador em um roteador de rede ou firewall.

Download: http://coyotelinux.com/downloads/


Debian
Debian é uma das distribuições mais antigas e populares. Ela serviu de base para a criação de diversas outras distribuições populares, tais como Ubuntu e Kurumin. Como suas características de maior destaque podemos citar:

  • Sistema de empacotamento .deb;
  • Apt-get, que é um sistema de gerenciamento de pacotes instalados mais práticos dentre os existentes (se não o mais!);
  • Sua versão estável é exaustivamente testada, o que o torna ideal para servidor (segurança e estabilidade);
  • Possui um dos maiores repositórios de pacotes dentre as distros (programas pré-compilados disponíveis para se instalar).

Download: http://www.br.debian.org/CD/http-ftp/


Fedora
Fedora é uma das mais populares e estáveis distribuições que existem atualmente. Ele era, no começo, um fork para a comunidade, liberado e mantido pela gigante Red Hat que, na época, estava fechando seu sistema e concentrando-se no mercado corporativo. Isso significa que, desde o princípio, o Fedora já contava com o que há de mais moderno em tecnologia de software, assim como também contava com uma das mais competentes e dedicadas equipes em seu desenvolvimento. Se o que você procura é uma distribuição com poderes de ser um servidor estável, mas com as facilidades das ferramentas de configuração gráficas, ou se, simplesmente, deseja um desktop mais robusto, o Fedora será a sua melhor escolha.

Download: http://fedoraproject.org/get-fedora


FreeBSD
O FreeBSD é um sistema operacional livre do tipo Unix descendente do BSD desenvolvido pela Universidade de Berkeley.

Está disponível para as plataformas Intel x86, DEC Alpha, Sparc, PowerPC e PC98 assim como para as arquiteturas baseadas em processadores de 64bits IA-64 e AMD64.

Considerado como robusto e estável, geralmente é utilizado em servidores, como de Internet ou Proxies, mas também pode ser utilizado como estação de trabalho.

Download: http://www.freebsd.org/where.html


Gentoo
Gentoo é uma metadistribuição baseada no sistema gerenciador de pacotes portage. A nomenclatura usada no desenvolvimento do sistema e seus produtos é inspirada na espécie de pinguim Gentoo. O gerenciamento de pacotes no Gentoo é desenhado para ser modular, portátil, fácil de manter, flexível e otimizado para a máquina usuária. Diferentemente da maioria das distribuições de software, normalmente os pacotes são compilados a partir do código fonte, mantendo a tradição dos ports (em inglês) nos sistemas BSD, embora por conveniência, alguns pacotes grandes são disponibilizados também como binários pré-compilados para várias arquiteturas.

O Gentoo descreve-se como uma metadistribuição, “devido a sua adaptabilidade quase ilimitada”.

Download: http://www.gentoo.org/main/en/where.xml


LinuxMint
Linux Mint é uma distribuição baseada no Ubuntu, com o qual é totalmente compatível e partilha os mesmos repositórios. Diferencia-se do Ubuntu por incluir drivers e codecs proprietários por padrão e por alguns recursos que permitem fazer em modo gráfico configurações que no Ubuntu são feitas de modo texto.

Utiliza por padrão o desktop Gnome modificado, com um menu no painel inferior junto à barra de tarefas, similar ao menu K do KDE. O propósito da distribuição é providenciar um sistema Linux que funcione “out-of-the-box”; isto é, esteja pronto para uso assim que terminar a instalação. Dessa maneira, o único trabalho do usuário será o de personalizar a aparência, se desejar, e instalar programas extra, caso necessite.

Download: http://www.linuxmint.com/download.php


Lubuntu
Lubuntu é um projeto derivado do Ubuntu, uma distribuição do sistema operacional GNU/Linux. Seu diferencial está em seu desenvolvimento, que foca netbooks, dispositivos móveis e os micros mais antigos, com menos de 256 MB de RAM.

A interface utilizada é o LXDE, que segue os mesmos padrões gráficos do KDE, mas apesar de ser para micros mais velhos ou com pouco poder de processamento, não significa que o ambiente seja sem efeitos visuais, pelo contrario, ele possui efeitos visuais bons.

Mais informações (inglês): http://lubuntu.net/ | https://wiki.ubuntu.com/Lubuntu

Download: http://people.ubuntu.com/~gilir/


Mageia
Distribuição de origem francesa criada por ex-funcionários e colaboradores da Mandriva. Ao contrário do Mandriva, que é uma entidade comercial, o projeto Mageia é um projeto da comunidade e uma organização sem fins lucrativos cujo objetivo é desenvolver um sistema operacional livre baseado em Linux.

A distribuição vêm apresentando um crescimento acentuado de acordo com o Hit Ranking do site Distrowatch.com.

Download: http://www.mageia.org/pt-br/downloads/


Mandriva
Mandriva é uma das maiores distribuições da atualidade, nasceu da fusão entre o antigo Mandrake e a brasileira Conectiva.

A Empresa Francesa Mandriva se dedica à distribuição e suporte do sistema operacional Mandriva, tem sua sede administrativa em Paris e um centro de desenvolvimento em Curitiba no Brasil, o laboratório brasileiro recebe o nome de Mandriva Conectiva, a Mandriva também possui um escritório em San Diego nos Estados Unidos. O Mandriva conta também com um grande número de contribuidores pelo mundo, o público-alvo do Mandriva Linux engloba usuários iniciantes no mundo Linux assim como usuários com mais experiência.

Download: http://www2.mandriva.com/br/downloads/


Manjaro
Manjaro nasce na Europa com uma equipe de desenvolvedores jovens que oferece uma distribuição GNU/Linux baseada nos pacotes estáveis do Arch, tornando-o 100% compatível com essa distribuição. Embora o Manjaro não seja um Arch, segundo Philip Müller, o objetivo dele é oferecer uma alternativa simples aos usuários que gostam das características do Arch como a sua velocidade, os seus pacotes sempre atualizados, a sua leveza e o seu princípio KISS/Rolling Release.

Ademais essa distribuição apresenta um visual moderno e agradável, com um instalador simples e que usa o cada vez mais popular escritório XFCE como ambiente gráfico padrão. Todavia a equipe também oferece o Manjaro Linux com os escritórios KDE, Gnome/Cinnamon, OpenBox e outros ambientes gráficos.

Download: http://sourceforge.net/projects/manjarol…s/release/


Matriux
É uma distribuição de segurança, caracterizando-se inteiramente em ferramentas gratuitas, poderosas e open source que podem ser usadas para os mais diversos fins, como por exemplo, testes de penetração, para hackers éticos, para adminstração de sistemas e rede, para investigações forenses de crimes cybernéticos, análise de vulnerabilidades e muito mais. É uma distribuição projetada para profissionais e entusiastas em segurança, embora possa ser usado normalmente como seu sistema desktop padrão, Matriux possui essa flexibilidade.

Com Matriux você pode transformar qualquer sistema desktop em um poderoso conjunto de ferramentas de testes de penetração sem ter que instalar nenhum software em seu HD (Hard Disk). Matriux foi projetado para funcionar em um ambiente com um LiveCD/DVD ou com pendrive, podendo também ser instalado em seu disco rígido em apenas algumas etapas. Matriux também inclui um conjunto de ferramentas para forense e recuperação de dados que podem ser usadas para investigações e análises forenses e recuperação de dados.

Download: http://www.matriux.com/index.php?page=download


openSUSE
openSUSE é a versão livre do belíssimo sistema operacional Novell SuSE. Além de se comportar de forma muito estável e robusta como servidor, também é muito poderoso quando o assunto é desktop.

Seu diferencial é o famoso YaST (Yeah Another Setup Tool), um software que centraliza todo o processo de instalação, configuração e personalização do sistema Linux. Podemos dizer que esta é uma das cartas-mestre do SuSE, pois pode se comparar ao painel de controle do Windows.

Download: http://software.opensuse.org/


Sabayon
Sabayon é um Sistema GNU/Linux completo, baseado no Gentoo. É uma espécie de “Gentoo Full”, ao mesmo tempo binário, semi-binario e de compilação.

Embora possa usar Portage (comando emerge), tem um Gerenciador de Pacotes próprio, chamado Entropy (comando equo) que instala (binários) e/ou adapta (semi-binários) pacotes tipo Gentoo, usando a própria infraestrutura local do Portage.

O Sabayon é conhecido por duas características principais: grande quantidade de aplicativos e beleza ímpar.

É considerada uma das Distros mais bonitas do Mundo e também já foi uma das mais utilizadas. Parte do seu sucesso se deve ao fato de ter uma grande quantidade de aplicativos nativos, incluindo vários jogos e efeitos 3D.

Download: http://www.sabayon.org/mirrors


Slackware
Slackware, junto com Debian e Red Hat, é uma das distribuições “pai” de todas as outras. Idealizada por Patrick Volkerding, Slack – apelido adotado por sua comunidade de usuários – tem como características principais leveza, simplicidade, estabilidade e segurança.

Embora seja considerada por muitos uma distribuição difícil de se usar, voltada para usuário expert ou hacker, possui um sistema de gerenciamento de pacotes simples, assim como sua interface de instalação, que é uma das poucas que continua em modo-texto, mas nem por isso se faz complicada.

Download: http://www.slackware.com/getslack/


Ubuntu
Ubuntu é uma das distribuições mais populares da atualidade e isso se deve ao fato dela se preocupar muito com o usuário final (desktop). Originalmente baseada no Debian, diferencia-se além do foco no desktop, em sua forma de publicação de novas versões, que são lançadas semestralmente.

Download: http://www.ubuntu.com/download/desktop


Zenwalk
Zenwalk (antigo MiniSlack) é uma distribuição para computadores antigos fundada por Jean-Philippe Guillemin. É baseada no Slackware, mas cada vez mais se vem distinguindo dele, mas mantendo a compatibilidade com o mesmo. O ZenWalk necessita de apenas 128 MB de memória RAM e de um processador Intel Pentium III. Pode também ser rodado diretamente do CD. É uma excelente opção para quem tem computadores ou notebooks antigos.

Há quatro versões disponíveis: Standard, que é a versão “normal” para desktops e notebooks; Core, que é um ponto de partida para construir um sistema personalizado; Live, que pode ser rodada no CD e Server, que é optimizada para servidores.

Download: http://www.zenwalk.org/


Kurumin
O Kurumin foi uma distribuição desenvolvida pela equipe do Guia do Hardware e colaboradores, com o objetivo de ser um sistema fácil de usar, voltado especialmente para iniciantes e ex-usuários do Windows. Originalmente o Kurumin foi desenvolvido com base no Knoppix, passando em seguida a utilizar também componentes do Kanotix e outros projetos, além de ser baseado nos pacotes do Debian. Todos os componentes e scripts usados são abertos, o que possibilitou também o surgimento de versões modificadas do sistema.

Apesar de ter feito um grande sucesso e ter sido durante algum tempo uma das distribuições mais usadas no país, o projeto acabou falhando em atrair um grupo de desenvolvedores interessados em participar de forma ativa do desenvolvimento. Este e outros fatores (entre eles a justificada cobrança em torno de novos recursos e melhorias) acabaram fazendo com que o projeto fosse descontinuado em janeiro de 2008.

O Kurumin 7.0r3, disponível em alguns dos mirrors, é uma versão com pequenas atualizações, sincronizada em relação aos repositórios do Debian Etch. Se você já está utilizando o Kurumin 7, pode atualizar o sistema via apt-get, sem necessidade de instalar a nova versão.

Download: http://www.baixaki.com.br/site/dwnld61950.htm


Salix
Salix é uma distribuição baseada em Slackware que é simples, rápida e fácil de usar. Salix é compatível com Slackware, para que utilizadores de Slackware possam usufruir dos repositórios Salix. Como o bonsai, Salix é pequeno, leve e o produto de ínfimo cuidado.

Download: http://www.salixos.org/download.html


Satux
Sistema operacional 100% brasileiro baseado em software livre – tem como objetivo trazer inovação, praticidade, segurança e diversão, tornando sua experiência no mundo digital inigualável.

O Satux disponibiliza até quatro ambientes de trabalho para organizar melhor suas atividades, além de uma interface simples e intuitiva, sem perder a qualidade gráfica que conta com recursos 3D e aplicativos interativos.

O mundo digital oferece inúmeras ferramentas que auxiliam suas tarefas diárias como consultar saldo bancário, realizar transações, compras on-line, troca de arquivos, entre outros. Para que você possa usufruir tudo isso é preciso ter segurança, e o Satux® oferece o suporte necessário para que suas tarefas sejam executadas de forma segura.

Download: http://www.satux.org.br/


Metamorphose
O Metamorphose é um sistema operacional completo, voltado para usuários iniciantes ou avançados; Nele você encontra mais de 150 aplicativos, incluindo, jogos (emuladores, games 3D e educativos), editores (HTML, animação, vídeo e áudio) e ainda conta com uma grande gama de aplicativos voltados para areá de multimídia e escritório.

Todos esses recursos podem ser usados rodando o sistema via LIVE-CD, sem alterar nada no seu sistema instalado no HD, ideal para iniciantes em Linux. Você também tem a opção de instala-lo no HD, com um assistente de instalação muito pratico e fácil.

Download: http://metamorphoselinux.net/


BrazilFW
O BrazilFW Firewall and Router é uma mini distribuição Linux que destina a ser um firewall e roteador. Ele é o sucessor do Coyote Linux, iniciado originalmente por Joshua Jackson, e descontinuado na versão 2.24, em Agosto de 2005.

Adotado por Claudio e Marcelo – Brazil, eles continuaram o desenvolvimento sobre o nome de BrazilFW. Tanto o Coyote Linux 2.x quando o BFW 2.x tem como base o Kernel Linux 2.4x.

A versão 3.x (em fase de desenvolvimento) do BFW utiliza o Kernel 2.6x. O usuário Erythros chegou a desenvolver uma versão 3.x, mas logo depois abandonou-a.

Em Maio de 2008, o Woshman utilizando o projeto Linux From Scratch começa a escrever a versão 3.x do zero. O BFW 2.x é uma continuação do Coyote 2.x, mas já o BFW 3.x é uma mini distribuição linux totalmente nova.

Ambas as versões do BrazilFW contam com uma gama de addons (utilitários diversos compilados e com interface projetada para rodar nesta distro) que podem ser instalados no BrazilFW para os mais variados propósitos.

O BrazilFW conta com um portal e um fórum próprios, sendo o fórum divido em 3 línguas (Português BR, Espanhol e Inglês).

Maiores informações em: http://www.brazilfw.com.br

Download: http://www.brazilfw.com.br/downloads/distro/


Chakra
O Chakra foi criado no interior da Freenode, onde alguns desenvolvedores do KDEmod se reuniam para discussões sobre GNU/Linux. Em um desses encontros resolveram criar um pequeno LiveCD baseado no Arch e com o passar do tempo o Chakra tomou uma outra direção tornando uma distribuição fácil de instalar e usar. Seguindo a filosofia KISS, o Chakra é super flexível na sua usabilidade, que tenta manter as coisas o mais simples possível.

É uma distribuição do sistema operacional GNU/Linux, desenvolvida para ser usada em desktops ou portáteis com arquitetura de 64bits (x86_64). O seu foco principal é no ambiente gráfico KDE e nos aplicativos desenvolvidos em Qt para manter seu sistema limpo de aplicações GTK. O Chakra é half-rolling, onde as releases se baseam no KDE, isto significa que a cada nova versão do KDE haverá um novo release da distribuição.

Download: http://chakraos.org/home/?get


Epidemic Linux
Distro brasileiríssima, baseada no Debian Squeeze, excelente para novatos e “cascudos”, vem sendo continuamente atualizada e já está na versão 3.2B1, lançada recentemente.

Vocês podem observar a qualidade do Epidemic pelo primor de site, que segue anexo: http://www.epidemiclinux.org/

Download: http://www.epidemiclinux.org/download/


Puppy Linux
Puppy Linux é uma distribuição Live CD iniciada por by Barry Kauler. Puppy é muito pequeno, e desenvolvido para ser seguro, fácil de usar e completamente customizável. Todo o sistema operacional e todos os outros aplicativos rodam da memória RAM.

Há algumas aplicações inclusas tais como SeaMonkey/Mozilla, AbiWord, Sodipodi, Gnumeric, e Gxine/Xine. Há ainda a possibilidade de ser adicionar aplicações, com a ferramenta Setup, adicionar e remover. A distribuição foi desenvolvida do zero, não é baseada em nenhuma outra distribuição.

Download: http://www.puppylinux.com/download/index.html


Damn Small Linux
Sistema operacional livre, Damn Small é uma mini-distribuição. Designada para executar aplicativos gráficos em computadores antigos, esta distribuição é muito pequena, possuindo apenas 50 MB de arquivos de instalação.

Damn Small Linux foi originalmente desenvolvido como um experimento para verificação de quantos sistemas funcionais preenchiam um live CD de somente 50 MB. Porém, com o tempo esta distribuição cresceu e se tornou um projeto concreto, com centenas de horas de desenvolvimento.

Pequeno, porém completo!

Com uma área de trabalho completa, esta distribuição possui aplicativos escolhidos com o melhor equilíbrio entre funcionalidade, tamanho e velocidade. Entre os principais aplicativos estão o tocador de músicas XMMS, o Firefox, o Xpdf, os editores Vim e Nano, o mensageiro Naim, o processador de texto Ted, clientes FTP e DHCP, entre outros.

Download: http://www.baixaki.com.br/linux/download…-linux.htm


SliTaz
O SliTaz é um sistema operacional livre, leve, rápido e estável que funciona completamente carregado na memória RAM e inicia a partir de mídias removíveis como um cdrom ou um pendrive. É distribuído na forma de LiveCD, o que significa que se pode obter uma imagem ISO a partir do site e gravá-la em um cdrom do qual você pode iniciar o sistema. Quando este estiver funcionando, pode-se ejetar o LiveCD e usar o drive de cd para outras tarefas. O Sistema Live fornece uma distribuição gráfica completamente funcional e permite a você manter seus dados e configurações pessoais em mídias graváveis. O sistema pode ser expandido com o gerenciador de pacotes Tazpkg e atualizações de segurança são fornecidas para as versões stable (estável) e cooking (testes).

A imagem ISO padrão da distribuição fornece 4 variantes: base, just-x, gkt-only e desktop completo e também oferece a opção de boot via web. Assim, cobre várias necessidades específicas, suportando vários dispositivos, desde computadores antigos, servidores de alta disponibilidade e plataforma ARM com o Raspberry Pi.

O SliTaz é simples de ser utilizado por usuários iniciantes em GNU/Linux: fornece uma área de trabalho moderna, que segue os padrões Freedesktop com ferramentas personalizadas que permitem ao usuário configurar todo o sistema por meio de caixas de diálogo gráficas. O sistema também permite seu gerenciamento remoto por meio de um painel de configuração via web.

O sistema base traz um servidor X simples, sem outros programas, que permite a personalização do sistema somente com os elementos que o usuário deseja. Esse sistema pode, depois, ser utilizado a partir de um CDROM, pendrive, sdcard, instalado no disco rígido ou inicializado via web.

A distribuição segue a filosofia UNIX: todos os elementos do sistema se encontram em arquivos texto. O gerenciador de pacotes e todas as configurações do sistema são arquivados em arquivos de texto simples, que podem ser lidos e modificados por qualquer pessoa. A maioria das ferramentas do sistema são feitas em SHell Script, o que permite sua customização por desenvolvedores que conheçam essa linguagem.

O boot do sistema é feito por meio de 4 scripts, que configuram todo o processo, lidam com as opções de boot, gerenciam a rede e outros comandos locais. Somente o necessário para a distribuição funcionar é executado, dando espaço para o usuário controlar todo o resto conforme suas necessidades.

O sistema é capaz de rodar completamente na memória RAM, à partir de um LiveCD, de um pendrive ou de uma instalação frugal no disco rígido. Isto permite salvar configurações e documentos em uma partição montada localmente enquanto o sistema é executado de forma rápida e responsiva.

A rede em volta da distribuição é estruturada e integrada, o que permite uma fácil navegação por todos os sites. O desenvolvimento é centralizado em repositórios Mercurial e ferramentas customizadas tais como o sistema de informação de bugs e o cookutils.

Algumas características do SliTaz:

  • Sistema de Arquivos Root com cerca de 100 MB e a imagem ISO menor que 30 MB.
  • Servidor Web pronto para uso fornecido pelo LightTPD com suporte a CGI e PHP.
  • Navegue na Web com o Midori ou o Retawq em modo texto.
  • Suporte a som fornecido pelo mixer Alsa, tocador de audio e extrator/codificador de CD.
  • Clientes de chat, e-mail e FTP.
  • Cliente/Servidor SSH fornecido pelo Dropbear.
  • Banco de Dados com o SQLite.
  • Geração de dispositivo LiveUSB.
  • Ferramentas para criar, editar ou gravar imagens de CD ou DVD.
  • Desktop elegante com o Openbox rodando sobre o Xorg (Servidor Gráfico).
  • Caixas de Diálogo gráficas nativas para utilitários de linha-de-comando.
  • Cerca de 3345 pacotes facilmente instaláveis a partir do mirror.
  • Comunidade ativa e amigável.

Download: http://www.slitaz.org/pt/get/


Kali Linux
Kali Linux é a nova geração da distribuição líder na indústria de testes des intrusão e auditoria de segurança, BackTrack. Kali Linux é uma reconstrução completa a partir do zero, aderindo completamente aos padrões de desenvolvimento Debian.

Download: http://br.docs.kali.org/download-pt-br/f…is-do-kali


Bodhi Linux
Bodhi Linux é uma distribuição destinada para computadores com poucos recursos de hardware. O estilo do sistema Bodhi prevê poucos programas instalados, somente os extremamente necessários. Isto acaba exigindo poucos recursos computacionais e faz com que se torne realmente útil para PC’s mais antigos.

O mínimo exigido para rodar o Bodhi Linux é apenas: 300+MHz CPU, 128MB RAM e 2.5GB de disco! Baseada no Ubuntu

Download: http://www.bodhilinux.com/download/


Funtoo Linux
Funtoo é um Sistema Operacional livre, baseado em Linux, baseado no Gentoo e iniciado em torno de 2008 por Daniel Robbins, membro criador e líder de projeto do Gentoo.

O Funtoo tem uma série de mudanças em pacotes considerados base, como por exemplo suporte nativo a UTF-8, e já habilitado por padrão.

Funtoo utiliza o git para guardar a árvore do Portage. Este método é descrito como superior ao utilizado pelo Gentoo através do rsync.

Metro é uma solução de empacotamento automatizada, para a criação dos stages usados durante a instalação do Funtoo. boot-update provê um mecanismo unificado de configuração dos bootloaders GRUB 1.9x(sys-boot/grub) e GRUB 0.97 (sys-boot/grub-legacy).

O Funtoo adicionou uma solução simplificada de redes em suas fundações, permitindo usuários criar de forma fácil interfaces de rede complexas baseadas em perfis preestabelecidos.

Download: http://www.funtoo.org/Subarches


DuZeru
Uma distribuição brasileira. Boas ideias surgem de nossas próprias necessidades ou a partir de problemas que tentamos solucionar, assim surgiu o DuZeru, para solucionar de maneira fácil questões de sustentabilidade, adaptação e melhor desempenho em desktops e notebooks.

Une o melhor entre sistemas operacionais e interfaces gráficas do mundo Linux, atendendo às necessidades do usuário casual, eventual, profissional ou estudante. A moeda de troca deste projeto voluntário é conhecimento mútuo, quando fazemos algo com amor e dedicação em primeiro lugar, fica bem feito.

Download: http://duzeru.org/


 

 

[ x ]
 

Solução para o erro “Nenhuma unidade de CD-ROM comum foi detectada” Kali linux

0

Boas Users!

 

Diante do erro “Nenhuma unidade de CD-ROM comum foi detectada” a resolução é:

erro kali

 

1– esse erro ocorre geralmente, com pendrive.

2– ao aparecer essa tela de erro, retire o pendrive e coloque novamente e pressione enter.

3– se o erro permanecer, retire o pendrive novamente, sem desligar ou reiniciar o computador.

4– se estiver no windows, use o Daemon Tools para emular a ISO (se for windows 10 ele ja emula dando um duplo clique na ISO), formate o pendrive clicando com botão direito, e depois copie os arquivos de dentro da ISO para o pendrive, ao terminar, plugue novamente no computador que está sendo instalado o kali, e pressione enter novamente.

5–  se estiver no linux, Primeiro acesse o terminal como root:

su

Agora vamos acessar o /media:

# cd /media

E então crie um diretório onde deverá ser armazenado a nossa ISO:

# mkdir /diretorio_ISO

Agora é fácil montar a imagem .ISO, basta usar o comando abaixo. O comando “mount” que irá montar o nome da sua imagem ISO sem as aspas, o local onde está seu diretório para armazenar a ISO, o parâmetro “-o” como opção de montar tudo no fstab e o loop que executa o mount até o fim da ISO:

# mount “sua_Imagem.iso” /media/diretorio_ISO -o loop

 

 

By user777